Chuva de meteoros Orionídeos – 21 e 22 de outubro de 2017




Chuva de meteoros Orionídeos – 21 e 22 de outubro de 2017

O máximo da chuva de meteoros Orionídeos ocorrerá nas madrugadas de 21 e 22 de outubro de 2017. A Lua não interferirá na observação do fenômeno.

Chuva de meteoros Orionídeos. A constelação de Órion é vista um pouco à direita do centro da foto - Crédito: Observatório SLOOH.
Chuva de meteoros Orionídeos. A constelação de Órion é vista um pouco à direita do centro da foto – Crédito: Observatório SLOOH.

A chuva de meteoros Orionídeos é um evento astronômico anual que pode ser visível praticamente de todo o Planeta, exceto da Antártica devido a posição geográfica do continente gelado. Esse fenômeno está associado ao Cometa Halley, também designado 1P/Halley, que orbita periodicamente em sua órbita a cada 76 anos. A última aparição do cometa foi no ano de 1986, e a próxima está prevista para o ano de 2061. Halley é o único cometa de curto período conhecido que é claramente visível a olho nu da Terra!

Geralmente as chuvas de meteoros estão associadas aos cometas, pois esses corpos celestes deixam para trás de suas trajetórias uma faixa de detritos. Normalmente esses detritos acompanham a mesma órbita do cometa, e assim, a Terra, ao orbitar o Sol, pode cruzar essa faixa de detritos. Sendo assim, uma chuva de meteoros ocorre quando esses fragmentos cometários se chocam com a atmosfera do nosso planeta.

Representação de uma chuva de meteoros - Passagem da Terra por rastro de detritos deixados por um cometa - GrupoAstroPE.
Representação de uma chuva de meteoros – Passagem da Terra por rastro de detritos deixados por um cometa – GrupoAstroPE.

A intensidade e a quantidade de meteoros está associada a alguns fatores, como: o ângulo de incidência desses meteoros sobre a atmosfera terrestre; a concentração de fragmentos deixados pelo cometa de origem; e da influência da Lua durante a noite/madrugada de observação. Esse último ponto é de grande destaque para visualização do fenômeno, pois, a depender da fase lunar, o luar pode interferir (e muito) na quantidade possível de meteoros visíveis.

Visibilidade da chuva de meteoros Orionídeos:

A chuva de meteoros Orionídeos será visível nas madrugadas de 21 e 22 de outubro. O intervalo para ver os meteoros é entre a meia noite e o amanhecer. O melhor horário é entre às 2h e 3h da madrugada de 21/10 e 22/10. Diferente de outras chuvas de meteoros, os Orionídeos possuem uma atividade de máximo constante. Sendo assim, as noites de 21 e 22 de outubro possuem atividade intensa semelhante.

Chuva de meteoros Orionídeos sobre Middle Falls, fora da cidade de McCloud, Califórnia, perto de Mount Shasta, em 2011 - por Brad Goldpaint.
Chuva de meteoros Orionídeos sobre Middle Falls, fora da cidade de McCloud, Califórnia, perto de Mount Shasta, em 2011 – por Brad Goldpaint.



É aguardado, segundo estimativas, uma taxa entre 20 e 25 meteoros por hora para a chuva de meteoros Orionídeos. Os meteoros visíveis são considerados rápidos e com longas trajetóriasprincipalmente quando observados pela madrugada, pois é o momento pelo qual o radiante – ponto a partir de onde parece surgir os meteoros – se encontra mais alto no céu.

O radiante dessa chuva de meteoros se encontra na facilmente reconhecível constelação de Órion. Essa constelação é famosa pela figura imaginária do Grande Caçador, associada à mitologia grega. Outra característica que a torna conhecida é o Cinturão de Órion ou As Três Marias, um alinhamento em perspectiva composto por três estrelas localizadas no centro daquela constelação.

Radiante da Chuva de meteoros Orionídeos localizado na constelação Órion. O máximo do fenômeno ocorre nas madrugadas de 21 e 22 de outubro de 2017. Crédito: SkySafari Pro.
Radiante da Chuva de meteoros Orionídeos localizado na constelação Órion. O máximo do fenômeno ocorre nas madrugadas de 21 e 22 de outubro de 2017. Crédito: SkySafari Pro.

Neste ano, a Lua não interferirá na observação da chuva de meteoros Orionídeos. Pois a Lua estará na fase Crescente, com pequena fração iluminada. Com isso, a Lua só clareará a atmosfera no início da noite, ou seja, fora do horário que é recomendado para a observação dos Orionídeos.

Dicas e orientações para a observação da chuva de meteoros Orionídeos:

  • É importante procurar um local escuro ou preferencialmente estar afastado das luzes artificias dos centros urbanos. Assim, você evita o ofuscamento causado pela poluição luminosa (PL), a qual dificulta a observação dos meteoros no céu.
Personagens Calvin e Haroldo (de Bill Watterson) contemplando meteoros. É possível observar alguns meteoros no céu a partir de um local longe da poluição luminosa.
Personagens Calvin e Haroldo (de Bill Watterson) contemplando meteoros. É possível observar alguns meteoros no céu a partir de um local longe da poluição luminosa.



  • Como a Lua não interferirá na observação dos Orionídeos, não teremos dificuldades na observação dos meteoros, mesmo aqueles menos brilhantes. Entretanto, sempre consulte a fase da Lua para a ver alguma chuva de meteoros. Pois, a claridade do luar sobre a atmosfera diminui a visualização de meteoros menos brilhantes, reduzindo assim, o aproveitamento da observação do fenômeno. Podem interferir muito na observação de uma chuva de meteoros as fases como Lua Crescente Gibosa (quase cheia); Lua Cheia ou Lua Minguante Gibosa (algumas noites após a fase cheia).

 

  • Ao ver uma chuva de meteoros você pode utilizar como apoio uma carta celeste ou um planisfério para a observação do fenômeno. Se o local for escuro como recomendado use uma lanterna de luz vermelha, para evitar ofuscamento pela luz branca. Assim, você não perde a adaptação dos olhos à pouca luz durante a observação.

 

  • Utilize também um bloco de anotações, para anotar os horários e algumas características dos meteoros observados. Você pode fazer o mesmo em seu smartphone. Instale em seu dispositivo móvel algum aplicativo de simulação do céu, pois isso pode ajudá-lo durante a observação do fenômeno.

 

  • Ao observar a chuva de meteoros Orionídeos e avistar algum meteoro muito brilhante, você também pode enviar o meteoro que você observou através do link: Relate um Bólido: é legal e rápido! Leva aproximadamente um minuto! Assim, você colabora para o projeto de ciência cidadã divulgado através do link.

 

  • Observar uma chuva de meteoros não requer o uso de algum instrumento astronômico. Ou seja, você não precisa usar algum binóculo ou telescópio. Você pode simplesmente observar a olho nu!



A relação entre o Cometa Halley e a chuva de meteoros Orionídeos:

Como citado, os Orionídeos estão associados ao Cometa Halley. Atualmente a órbita do Cometa Halley não cruza com a Terra, assim, os meteoros dos Orionídeos que vemos hoje foram deixados para trás pelo cometa há muitos anos. Com isso, e somado à influência gravitacional de outros planetas – como a de Júpiter – é difícil prever a concentração de meteoros que podem cruzar a órbita da Terra. Portanto, é um tanto imprevisível estimar exatamente a quantidade de meteoros visíveis da chuva de meteoros Orionídeos para o ano de 2017.

Autoria e crédito: Ian Webster

Segundo pesquisas divulgadas pelo site IMOInternational Meteor Organization – e AMSAmerican Meteor Society -, o estudo mais recente considera que os Orionídeos estão em um ciclo de 12 anos com uma relação gravitacional com Júpiter, independente da órbita muito longa do Cometa Halley. Sendo assim, pode ocorrer a cada período regular uma forte atividade dessa chuva de meteoros, semelhante às Perseidas (que normalmente apresenta intensa atividade).

O último pico da chuva de meteoros Orionídeos aconteceu em 2006, quando a atividade desse fenômeno correspondeu às Perseidas. Acredita-se também que a atividade dessa chuva de meteoros aumentará nos próximos anos!

O professor James Solon, coordenador do Grupo de Astronomia de Pernambuco, participará da live promovida pela página Universo da Astronomia.

Participe da live transmitida ao vivo a partir do convite abaixo!

Fontes:
International Meteor Organization – IMO
American Meteor Society – AMS
Meteorshowers.org

Sobre AstroPE 26 Artigos

O Grupo de Astronomia de Pernambuco tem como objetivo divulgar a Astronomia através de Projetos e Atividades Práticas para todos os públicos.

Nós realizamos atividades em escolas públicas e privadas tanto na Região Metropolitana do Recife quanto em outras cidades e Estados. Divulgando assim cada vez mais essa fantástica ciência, a Astronomia.

96 Comentário

  1. fiquei pensando… se esses são apenas detritos,”pedaços”, que estão no rastro no cometa Halley… imagina o tamanho desse “garoto”… kkkk

    • Olá Carlos Martins, olhe para o ponto cardeal Leste, normalmente onde o Sol nasce no céu. À meia-noite, olhando para o Leste, você verá a constelação de Órion já um pouco alta no céu. Qualquer dúvida entre em contato novamente. 😉

    • Nesse caso seria a partir da meia-noite sem horário de verão. Para sua localidade, devido o horário de verão, é indicado entre 3h e 4h da madrugada. 😉
      O mesmo vale para a madrugada de 22/10. 🙂

    • Olá Geremias Henrique. Olhe para o ponto cardeal Leste, local onde o Sol nasce aproximadamente. Ao olhar para o céu à meia-noite de 21/10 tente ver a constelação de Órion, conhecida pelas Três Marias. Será nos arredores dessa constelação que surgirão os meteoros. Ah, e o melhor horário é entre a meia noite e o amanhecer (de 21/10 e 22/10). 😉

    • Olá Bluana, olhe para Leste (onde o Sol nasce) e procure a constelação de Órion, que já estará visível no céu à meia-noite. Será a partir dela que você os meteoros no céu. 😉

    • Olá Ana Carolina! É o horário sem horário de verão. Nesse caso, será para seu estado o horário de melhor visualização entre 3h e 4h (pois corresponde à 2h e 3h citado no texto). 😉
      De todo modo tente observar entre a meia-noite e o amanhecer de 21/10, se possível. 🙂

  2. Aqui está nublado não acredito ☹️🤦‍♂️
    Quero poder ver ao amanhecer, sabe o horário que vai ser mais ou menos cedo? Pra eu tentar ver ?

    • É possível ver de todo Brasil Anthony. 😉 Ainda dá para ver nesta madrugada (21/10) até amanhecer. Tente procurar um local mais escuro. Se não for possível nesta madrugada, veja na madrugada do domingo (22/10) de outra localidade mais afastada do centro urbano. 😉

    • Olá Pedro. É possível observar, porém suas chances de ver mais meteoros são reduzidas. A estimativa é entre 20 e 25 meteoros por hora, e a influência da poluição luminosa pode diminuir para metade disso.
      Entretanto, tente observar o fenômeno também nessa próxima madrugada, de domingo 22/10. 🙂

  3. Vai ser bem difícil me afastar das luzes urbanas! 🙁 Espero que eu consiga ver! Talvez da laje da minha casa eu consigo!
    Sabe, bem que a cemig podia fazer a luz do bairro acabar pelo menos nessa noite!kkkkkkkk Eu iria amar!

    • Muitíssimo obrigado Irla Santana pelo reconhecimento e elogio! 😀
      Você pode tentar ver mesmo numa área urbana, entretanto as chances de ver meteoros dentro da média (entre 20 e 25 meteoros) são menores. 😉 Quase metade. Mas mesmo assim tente observar! 🙂

    • Entre a meia-noite e o amanhecer Sabrynna Monteiro. Como já passou a madrugada de domingo (22/10), você pode ver meteoros nas próximas madrugadas, porém num número menor (entre 10 a 15 meteoros em boas condições de observação. 🙂

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*